Timoneiros da Viola celebra Zé Kéti no Carnaval 2016


Consagrado com prêmio de Melhor Bloco do Rio, agremiação volta para Praça Paulo da Portela, local de origem da festa em Oswaldo Cruz, no dia 31 de janeiro

Timoneiros da Viola - Foto: Divulgação

Timoneiros da Viola – Foto: Divulgação

ZÉ RENATO APORTA EM MADUREIRA PARA PARTICIPAR DE TIMONEIROS DA VIOLA E CELEBRAR ZÉ KÉTI

Ex-Boca Livre reverenciou autor de “Máscara negra” há 20 anos com o disco-tributo “Sobre as canções de Zé Kéti”, um marco da MPB
Um dos mais extraordinários e sensíveis intérpretes da música brasileira, Zé Renato, ex-Boca Livre, vai atracar com sua embarcação repleta de delicadeza e poesia no Timoneiros da Viola 2016. Zé, que prestou lindíssima homenagem ao autor de “Máscara negra” há 20 anos com o disco-tributo “Sobre as canções de Zé Kéti”, foi convidado pela direção do bloco para participar da festa que promete parar Oswaldo Cruz e Madureira, no próximo dia 31 de janeiro.
_ É uma honra e uma felicidade imensa estar nesta festa que homenageia um dos mais importantes nomes de nossa música _ diz Zé Renato.
Neste Carnaval, o Timoneiros retorna ao ponto de origem, a Praça Paulo da Portela, em Oswaldo Cruz. A concentração do bloco está marcada para às 12h.

Com a bênção de Paulinho da Viola, padrinho e cofundador do projeto, o Timoneiros da Viola volta a aterrissar na Praça Paulo da Portela dia 31 de janeiro, em Oswaldo Cruz, neste 2016, quando completa cinco anos de história. O bloco, criado em 2012 pelo jornalista e pesquisador Vagner Fernandes, com o aval do próprio Paulinho, foi agraciado com o Prêmio Serpentina de Ouro de Melhor Bloco do Carnaval 2012, e, atualmente, é uma das mais importantes agremiações cariocas pela originalidade e importância de sua proposta de preservação de memória e prestação de homenagem ao autor de “Foi um rio que passou minha vida”. Para comemorar meia década de atividades, o Timoneiros celebrará Zé Kéti (1921-1999) neste Carnaval, ícone e gênio portelense, cultuado pela intelectualidade, aclamado por músicos e pelo público brasileiro.

— O Zé tem uma importância grande na minha trajetória. Foi ele e o Sérgio Cabral (pai) que me batizaram Paulinho da Viola, lá no Zicartola, restaurante que Dona Zica e Cartola mantiveram por 20 meses na Rua da Carioca, no Centro do Rio. Homenageá-lo é de fundamental importância — ressalta Paulinho.

Neste contexto preservacionista, porém não saudosista, o Timoneiros da Viola tem como objetivo o resgate da poesia e do lirismo dos antigos blocos carnavalescos do Rio de Janeiro, executando única e exclusivamente as mais belas composições de expoentes do gênero, como Bide, Marçal, Candeia, Nelson Cavaquinho, Cartola, Donga, João da Baiana, Pixinguinha e, claro, Paulinho da Viola, entre outros. O projeto envolve grupos de instrumentistas e compositores que desfilam pelas ruas de Oswaldo Cruz e Madureira, bairros famosos pela concentração das melhores rodas de samba da cidade e na qual estão sediadas duas das maiores agremiações do Carnaval carioca: Portela e Império Serrano. Neste ano, o Timoneiros volta a realizar sua festa na rua, na tradicional Praça Paulo da Portela, em frente à Portelinha, onde saiu pela primeira vez em 2012. E mantém a tradição de se apresentar no domingo que antecede à Folia do Momo. A data, como ressaltado acima, é 31 de janeiro, com concentração marcada para o meio-dia.

_ Zé Kéti tem todos os predicados que justificam uma homenagem desta grandeza. Possui uma obra incrível que perpassa o amor bucólico e puro, o cotidiano do mundo do samba, o dia-a-dia doméstico e a contestação política. É completo — explica Vagner Fernandes, presidente do Timoneiros da Viola.

A expectativa para o Carnaval 2016 é grande. E para a festa que tem arrastado multidões, o bloco conta com uma poderosa bateria e com integrantes do tradicional Exporta Samba, além do puxador Rixxa, incensado por sua voz de tenor (ele é conhecido como o Pavarotti do Samba). O intérprete é a voz oficial do Timoneiros e relembrará clássicos sambas da azul-e-branco de Madureira, como ‘Lendas e mistérios da Amazônia’ (1970), ‘Lapa em três tempos’ (1971), ‘Ilu Ayê (Terra da Vida)’ (1972), ‘Macunaíma’ (1975), ‘Das maravilhas do mar, fez-se o esplendor de uma noite’ (1981) e muitas outras preciosidades de bambas do samba, além de verdadeiros hinos de escolas coirmãs.

SERVIÇO
O que: Timoneiros da Viola
Quando: 31 de janeiro
Onde: Praça Paulo da Portela (em frente à Portelinha), Oswaldo Cruz
Hora: 12h (Concentração)

About the Author

Luiz Souza
Fotojornalista criador do site Subúrbio RJ. O objetivo do site é compartilhar notícias e acontecimentos importantes da cidade do Rio de Janeiro e da região metropolitana do Rio. O foco principal do site é a divulgação de notícias relacionadas à cultura e eventos importantes para a cidade como o Jogos Olímpicos Rio 2016.

Be the first to comment on "Timoneiros da Viola celebra Zé Kéti no Carnaval 2016"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*