Procon Estadual autua 11 sorveterias no Rio e no Grande Rio


Em duas delas, na Zona Sul do Rio, o sorvete era armazenado em temperaturas acima da permitida por lei

O Procon Estadual realizou, nesta segunda-feira (14/03), a Operação Ki-Fria, que fiscalizou 17 sorveterias nas zonas Norte, Sul e Oeste do Rio, além da Baixada Fluminense. Dessas, 11 foram autuadas. Em duas delas – a Vero Gelato Italiano (Rua Visconde de Pirajá, 260, loja B, Ipanema) e a Officina del Gelato (Avenida Nossa Senhora de Copacabana, 903, loja A), os fiscais constataram que os freezers que armazenavam os sorvetes estavam em uma temperatura acima do máximo permitido pela legislação em vigor.

A Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) 267/2003, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), prevê que os produtos gelados comestíveis devem ser expostos para venda em freezers com uma temperatura máxima de -12ºC. Os fiscais encontraram, no entanto, freezers regulados em temperaturas de até – 5ºC, na Officina del Gelato.

A Officina del Gelato e a Venchi (Rua Dias Ferreira, 217, loja A, Leblon) não tinham o cartaz informando sobre a oferta gratuita de água potável aos clientes. Na Sorveteria Wesley (Rua João Rego, 66, Olaria), havia 14kg e 300g de coberturas vencidas de diversos sabores. Já na Baixada, a Sorvetes Moleka (Avenida Nossa Senhora de Fátima, 705, Olinda, Nilópolis) não tinha o certificado do Corpo de Bombeiros. Os fiscais deram um prazo de 48 horas para a apresentação do documento, sob risco de interdição.

Não foram encontradas irregularidades em cinco estabelecimentos: Momo Gelato (Rua Dias Ferreira, 147, Leblon), Sorveteria Sol da Praia (fábrica) (Rua Segunda, 51, Santo Antônio da Prata, Belford Roxo), Sorveteria Turim (Rua Santa Brigida, 37, Penha), Gelateria 4D (Avenida das Américas, 4.666, New York City Center, Barra da Tijuca) e Häagen-Dazs (Barra Shopping). A fábrica da Fribom (Rua Goiás, 504, Piedade) estava com a produção suspensa em virtude de obras. Ainda assim, foi verificada a parte de documentos, que estava OK.

Foto: PronconRJ / Divulgação

Foto: PronconRJ / Divulgação

Foto: PronconRJ / Divulgação

Foto: PronconRJ / Divulgação

Foto: PronconRJ / Divulgação

Foto: PronconRJ / Divulgação

Balanço da Operação Ki-Fria:

1 – Sorvete Itália (Rua Visconde de Pirajá, 395, Ipanema): Ausência do certificado do Corpo de Bombeiros. Os fiscais deram um prazo de 48 horas para a apresentação.

2 – Vero Gelato Italiano (Rua Visconde de Pirajá, 260, loja B, Ipanema): Temperatura da geladeira que expunha sorvetes à venda era de -9°C, contrariando a legislação, que prevê -12°C. Duas reclamações no Livro de Reclamações de 9/02/2016 e 10/02/2016 não enviadas ao Procon (o prazo é de 30 dias).

3 – Freddo (Avenida Ataulfo de Paiva, 236, loja A, Leblon): Ausência do Livro de Reclamações.

4 – Venchi (Rua Dias Ferreira, 217, loja A, Leblon): Ausência de preço em chocolates e balas. Ausência de cartaz informando sobre a oferta gratuita de água potável aos clientes. Ausência dos certificados do Corpo de Bombeiros e de potabilidade da água. Os fiscais deram prazos de 48 horas para a apresentação do primeiro documento e de 15 dias para o segundo. Ausência do Livro de Reclamações.

5 – Felice Caffé (Rua Gomes Carneiro, 30, Ipanema): Livro de Reclamações não autenticado. Ausência do certificado de potabilidade de água. Os fiscais deram um prazo de 48 horas para a apresentação.
6 – Officina del Gelato (Avenida Nossa Senhora de Copacabana, 903, loja A): Ausência do cartaz informando sobre a oferta gratuita de água potável aos consumidores. Temperaturas dos freezers em desacordo com a legislação: -5°C, -11°C, -6,2°C e -10°C (A legislação estabelece -12°C).

7 – Sorveteira Chuvisco (Rua Teixeira Franco, 6, Ramos): Ausência do certificado de potabilidade da água e de comprovante da troca de filtros. Os fiscais deram um prazo de 15 dias para a regularização. 27 fatias de torta e mais 4 tortas sem especificação da validade.

8 – Sorveteira Wesley (Rua João Rego, 66, Olaria): Produtos vencidos: Coberturas (1kg e 300g de kiwi, 2kg e 600g de amora, 3kg e 900g de groselha, 1kg e 300g de uva, 5kg e 200g de cereja. De um total de 11 garrafas de cobertura, 5 estavam abertas e em uso. Ausência do certificado de potabilidade da água. Os fiscais deram um prazo de 15 dias para a apresentação. Ausência do certificado do Corpo de Bombeiros. Os fiscais deram um prazo de 48 horas para a apresentação.

9 – Sorvete Brasil (Avenida das Américas, 4.666, loja 125, Barra Shopping): Ausência do certificado de potabilidade da água. Os fiscais derma um prazo de 15 dias para a apresentação.

10 – Sorvetes Moleka (Avenida Nossa Senhora de Fátima, 705, Olinda, Nilópolis): Ausência do certificado do Corpo de Bombeiros. Os fiscais deram um prazo de 48 horas para a apresentação.

11 – Sorvete Brasil (Quiosque 27 do Recreio Shopping): Ausência do Livro de Reclamações.

About the Author

Luiz Souza
Fotojornalista criador do site Subúrbio RJ. O objetivo do site é compartilhar notícias e acontecimentos importantes da cidade do Rio de Janeiro e da região metropolitana do Rio. O foco principal do site é a divulgação de notícias relacionadas à cultura e eventos importantes para a cidade como o Jogos Olímpicos Rio 2016.

Be the first to comment on "Procon Estadual autua 11 sorveterias no Rio e no Grande Rio"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*