Estados cobram ações efetivas do Ministério do Turismo


Dirigentes alegam que demora na revisão da Lei Geral do Turismo impede desenvolvimento da atividade no país

O encontro entre secretários de Turismo de diferentes estados, nesta quarta-feira (07), foi marcado por cobranças de verbas e infraestrutura ao Governo Federal, fortalecimento estrutural de programas entre as federações e anúncio de plano de divulgação dos atrativos turísticos brasileiros junto a mercados estrangeiros já para este verão.

Durante a última reunião do ano do Fórum nacional de Dirigentes e Secretário estaduais de Turismo, a Embratur apresentou vídeos e peças publicitárias a serem apresentadas em países do eixo sul-americano, Estados Unidos e Europa. A meta é atingir 15 milhões de potenciais turistas, com imagens atrativas do verão brasileiro e suas múltiplas possibilidades de roteiros de viagens.

Mas o debate, que aconteceu no Centro de Visitação Paineiras, em Santa Teresa, contou com momentos de cobrança importantes ao representante do Ministério do Turismo. O secretário de Estado de Turismo do Rio, Nilo Sergio Felix, presidente do Fornatur, pediu mais empenho federal em relação à atualização da Lei Geral do Turismo e à criação de mecanismos que possibilitem o funcionamento efetivo do Cadastur – sistema de cadastro de pessoas físicas e jurídicas que atuam no setor do turismo, que, segundo os dirigentes estaduais, deveria prever multas aos estabelecimentos que não estiverem de acordo com as normas e determinações estabelecidas.

estados-cobram-acoes-efetivas-do-ministerio-do-turismo

O Cadastur já havia sido pauta da reunião anterior realizada durante a Abav, em São Paulo. Nilo Sergio Felix revelou que, na ocasião, o Fornatur encaminhou carta com 10 itens ao Ministério.

– Não podemos mais esperar que promessas se concretizem. É o momento de cobrar com firmeza para que tenhamos resultados positivos e a atividade turística se fortaleça e se consolide definitivamente dentro da estrutura econômica de nosso país – posiciona o secretário.

O secretário de Turismo de Minas Gerais, Gustavo Arrais, também cobrou um MTur mais atuante. Ele reforçou que não existe um Plano Diretor de Turismo com ações efetivas e que os programas do Mtur estariam estagnados.

Hugo Veiga, subsecretario do Maranhão reclamou da falta de um programa da Embratur que inclua o estado na promoção internacional. Segundo ele, o Maranhão recebe cerca de 4 mil japoneses por ano e não existe, por exemplo, nenhuma ação promocional dos Lençóis maranhenses na Ásia.

Em contra partida, o secretário Nacional de Estruturação do Turismo, Neusvaldo Lima, representante do Mtur no evento, explicou que o órgão está empenhado na modernização da Lei Geral do Turismo e na atualização do Plano Nacional de Turismo, que compreenderá os anos de 2017 a 2020. Neusvaldo prevê a criação de cursos de formação de fiscais capacitados para monitorar e obrigar a realização e manutenção das normas do Cadastur entre as empresas do segmento. O secretário Nacional disse ainda que multas passarão a ser realidade, e que os recursos gerados por estas serão revertidos em investimentos e manutenção de programas de desenvolvimento do turismo estadual.

– Para 2017 teremos disponíveis também R$5,4 milhões para que os estados apresentem projetos que tenham ligação com o trade, potencializando projetos e programas – conta.

Ao ter conhecimento sobre a disponibilização dos recursos, o secretário Nilo Sergio batizou o subsídio de Verba das Paineiras, fazendo referência ao local de realização do evento.

Liberação dos jogos

Ao final da reunião, o presidente do Fórum pediu um acompanhamento mais cuidadoso do ministério em relação à liberação dos cassinos no Brasil.

– A forma que esse processo está sendo conduzido em nosso país nos preocupa. A liberação geral, descoordenada, não contribuirá efetivamente para o turismo. É fundamental implementar toda uma estruturação junto à rede hoteleira, a espaço para shows, apresentações. Trata-se de um conjunto de serviços que, bem apresentados e construídos passarão a atrair o turista – explicou Nilo Sergio Felix.

Parceria entre Estado e Parque Nacional da Tijuca

Os milhares de turistas que visitam o Corcovado poderão agora levar aos seus destinos, souvenirs do Parque Nacional da Tijuca com temática artesanal. Durante o Fornatur, foi lançada a parceria da Setur-RJ com o Grupo Paineiras, que passará a comercializar peças de artesãos cadastrados no Programa de Artesanato do Estado.

Os trabalhos confeccionados com palha de buriti, vidro, tinta, madeira e tecidos, que estampam a diversidade do parque, poderão ser encontrados na loja do Centro de Visitantes das Paineiras. Para conhecer um pouco do artesanato fluminense, a coordenadora do programa e subsecretária de Estado de Turismo, Nea Mariozz presenteou a comissão do fórum, com peças produzidas por artesãos de Santa Maria Madalena, reproduzindo a fauna da Floresta da Tijuca.

About the Author

Luiz Souza
Fotojornalista criador do site Subúrbio RJ. O objetivo do site é compartilhar notícias e acontecimentos importantes da cidade do Rio de Janeiro e da região metropolitana do Rio. O foco principal do site é a divulgação de notícias relacionadas à cultura e eventos importantes para a cidade como o Jogos Olímpicos Rio 2016.

Be the first to comment on "Estados cobram ações efetivas do Ministério do Turismo"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*