Arena Cultural Dicró comemora dois anos em junho


Aniversário terá dois dias de festa, com muita música, oficinas e exposição

A Arena Dicró, na Penha, completa dois anos em junho. Para celebrar a data, haverá uma comemoração no sábado, 14/06, e no domingo, 15/06, que inclui roda de samba, danças populares, oficinas, exposição, feira de artesanato e forró. Grupo Naquela Mesa, Companhia de Aruanda, Quinteto Cacique, DJ Xeleléu, Trio Candiêiro e Trio Estopim são algumas das atrações que prometem animar os dois dias de festa. A entrada é gratuita e a classificação é livre.

Sábado:

Exposição Cores Vivas

Nesta exposição, o grafiteiro Wallace Carvalho (Bidu) apresenta seu atual foco de trabalho: a criação de personagens, apelidados de “Monstrão de Tinta”, que passam a fazer parte do nosso dia a dia sem percebermos, colorindo e dando mais vida à cidade. “Monstrão” é uma expressão da cultura urbana que identifica uma coisa bacana, forte, respeitável.

A exposição é sábado, de 10h às 21h.

Contação de Histórias

Contacao de Historias - Foto: Divulgação

Contacao de Historias – Foto: Divulgação


A partir do universo da literatura e suas surpresas, a Arena Carioca Dicró propõe a diversão e a participação do público, crianças e adultos. Durante a atividade, todos são convidados a mostrar seu talento como contadores de história, conhecidas ou inventadas. Após a história ainda há uma atividade artística.

A contação é sábado, às 10h.

Grupo Naquela Mesa

Naquela Mesa - Foto: Divulgação

Naquela Mesa – Foto: Divulgação


Formado por Marcos Brandão (cavaco e voz), Fabinho Pereira (violão e voz), Raphael Moreira (tantan e voz), Fabio Gomes (surdo) e Maycon Costa (pandeiro), o Naquela Mesa une alegria e talento à paixão pelo samba. Com sete anos de estrada, o grupo tem em seu repertório obras de Noel Rosa, Cartola, Beth Carvalho, Jorge Aragão, Fundo de Quintal, Ivone Lara, Velha Guarda Portela, Arlindo Cruz, Dudu Nobre, Zeca Pagodinho, Martinho da Vila e inéditas dos componentes do grupo e seus parceiros.

A apresentação é no sábado, às 12h.

Companhia de Aruanda e o Fuzuê

A Companhia de Aruanda é formada por jovens vindos de diversos projetos sociais como Jongo da Serrinha, Afroreggae, Companhia Étnica, Companhia Brasil Mestiço, entre outros. Desde 2007 realiza um trabalho de pesquisa, divulgação e preservação das diversas danças e tradições da Cultura Popular do Brasil através de projetos, oficinas, palestras e eventos.

Há alguns anos realizam um movimento chamado Fuzuê, sob o viaduto Negrão de Lima, localizado em Madureira, que tem o intuito de integrar as diversas danças, tais como Jongo, Samba de roda, Côco, Ijexá, Ciranda, entre outras.

A apresentação é no sábado, às 14h.

Quinteto Cacique

Quinteto Cacique - Foto: Divulgação

Quinteto Cacique – Foto: Divulgação


O Quinteto Cacique integra a nova geração do samba. O Quinteto descende dos gêneros fina flor do samba de raiz e do Partido Alto. O grupo – cria do Cacique de Ramos – é formado pelos músicos: Luis Claudio “Coelho” (Voz e Tantã), Pablo Macabu (Cavaco), PC Macabu (Banjo), Wladimir Silva (Violão) e Vagner Luiz (Surdo).

A apresentação é no sábado, às 17h.

Domingo:

Banda Pavio Curto

Pavio Curto - Foto: Divulgação

Pavio Curto – Foto: Divulgação


Formada no alto da serra de Macaé, em meados de 2010, a banda propõe trabalho musical diferenciado, apresentando canções autorais e também de artistas brasileiros e internacionais. Definindo-se como banda regional, evidencia a cultura popular e mantém seu foco nos trabalhos artesanais, resgatando valores culturais através de sua apresentação, conquistando com simpatia e talento o público que aprecia dança e poesia. É formada por Potyra Castro (percussão e voz), Fernando Braga (violão e voz), Sereno Melo (flauta transversa e voz), Armando Alvez (baixo e voz), Vanessa Souza (percussão e voz) e Gabriel Munay (acordeão).

Estilos como samba, rock, reggae e MPB são misturados à pegada particular de forró tradicional (pé-de-serra) e juntos compõem o espetáculo musical do conjunto, que reveza vozes ao longo de toda apresentação. Desde sua formação inicial são mais de 350 shows em eventos de diversas cidades do sudeste brasileiro. São apresentados ritmos dançantes, composições de artistas da mídia, da região onde o conjunto nasceu e de integrantes da banda, poesias musicadas agradáveis ao gosto popular.

A apresentação é no domingo, às 11h.

Trio Candiêiro

Trio Candieiro - Foto: Divulgação

Trio Candieiro – Foto: Divulgação


O Trio Candiêiro, fundado em 2005 na cidade do Rio de Janeiro, tem um repertório que reúne sucessos próprios e clássicos de Luiz Gonzaga, Trio Nordestino, Dominguinhos, Elba Ramalho, entre outros, os músicos despontam com uma formação jovem que valoriza e renova o forró pé de serra. Com o segundo cd lançado em 2011 conquistaram a crítica e público sendo eleitos, por voto popular, na categoria melhor trio, do “Prêmio Destaques do Forró Pé de Serra 2011” realizado no Centro Cultural Cordão da Bola Preta.

Entre os principais eventos em que o trio se apresentou, destaca-se a Turnê pela Europa, iniciando pelo projeto “Ano Brasil em Portugal” em Lisboa, posteriormente seguindo para outros países como: França, Inglaterra e Holanda.
No Brasil, se apresentou no São João Carioca 2012, além de ter participado dos principais eventos do gênero, ao lado de artistas como Gilberto Gil, Zeca Pagodinho, Dominguinhos, Dió de Araújo, Gennaro, Trio Nordestino, Mestrinho do Acordeon, Os 3 do Nordeste, Trio Nordestino, Falamansa, Duani (Forroçacana) entre outros.

A apresentação é no domingo, às 15h.

Trio Estopim

Em 2012, Michel Gerard (Voz/Triângulo), Ubirany Jr (Zabumba e Vocal) e Nandinho Barros (Acordeon e Vocal) se uniram para criar o Trio Estopim, com a finalidade de resgatar e dar continuidade a cultura popular nordestina. Os músicos têm como suas maiores referências os mestres Ary Lobo, Assisão, Edson Duarte, Mestre Zinho, Trio Nordestino, Os 3 do Nordeste, Pinto do Acordeão, Dominguinhos e o eterno Rei do Baião, Luiz Gonzaga.

O Trio recém-formado foi destaque no Festival Nacional de Forró de Itaúnas 2012, concorrendo na final por melhor trio. Não conquistaram o prêmio, mas ficaram conhecidos como a grande revelação do FENFIT 2012. Um ano depois, com mais de 250 shows na bagagem, o Trio concorreu novamente no Festival Nacional de Itaúnas, onde conquistou o segundo lugar.

A apresentação é no domingo, às 18h.

Programação Completa:

Sábado – 14 de Junho
10h às 21h – Exposição Cores Vivas
10h às 12h – Contação de Histórias
12h às 14h – Roda de Samba Grupo: Naquela Mesa com Feijoada do Boteco do Parque
14h às 17h – Cia de Aruanda
17h às 21h – Quinteto Cacique

Domingo – 15 de Junho
10h às 21h – Feira de artesanato
10h às 11h – DjXeleleu
11h às 13h – Pavio Curto
13h às 15h – DjXeleleu
15h às 17h – Trio Candiêiro
17h às 18h – DjXeleleu
18h às 20h – Trio Estopim

Serviço:
Data: 14 e 15/06, sábado e domingo
Horário: 10h às 21h
Local: Arena Carioca Dicró – Carlos Roberto de Oliveira
Endereço: Parque Ari Barroso, Penha (entrada pela rua Flora Lobo)
Telefone: (21) 3486-7643
Entrada gratuita
Classificação etária: Livre

About the Author

Luiz Souza
Fotojornalista criador do site Subúrbio RJ. O objetivo do site é compartilhar notícias e acontecimentos importantes da cidade do Rio de Janeiro e da região metropolitana do Rio. O foco principal do site é a divulgação de notícias relacionadas à cultura e eventos importantes para a cidade como o Jogos Olímpicos Rio 2016.

Be the first to comment on "Arena Cultural Dicró comemora dois anos em junho"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*