Vigilância Sanitária oferecer curso para salões de beleza

Estúdios de piercing, tatuagem e institutos de beleza também podem participar

Na próxima segunda, dia 30, a vigilância sanitária vai promover um curso para profissionais e proprietários de salões e institutos de beleza, além de estúdios de piercing e tatuagem, para passar orientações sobre a prevenção de riscos à saúde nesses ambientes.

Os participantes serão orientados sobre os procedimentos para a utilização correta dos materiais, como limpeza, esterilização e descarte adequados; o uso de cosméticos regularizados, que tenham o número de registro ou de notificação da Anvisa; a limpeza e desinfecção do ambiente, com o uso de materiais específicos; bem como a prevenção de doenças infectocontagiosas, como hepatites B e C, tétano, AIDS, micoses, dentre outras..

No evento, também haverá orientações sobre a legalização dos estabelecimentos de embelezamento, a legislação em vigor e a saúde do trabalhador. São 50 vagas disponíveis para profissionais e proprietários, que serão preenchidas por ordem de chegada.

Os interessados em participar devem comparecer, no dia do evento, ao auditório do prédio central da Vigilância Sanitária municipal para fazer as inscrições, uma hora antes do início, que será às 9h. O local fica na rua do Lavradio, 180/6º andar. O encontro dura toda a manhã e se encerra ao meio-dia.

Em 2015 serão realizados mais quatro encontros com esses estabelecimentos, nos dias 25 de maio, 27 de julho, 28 de setembro e 30 de novembro. O assunto abordado também será as orientações técnicas em embelezamento e esteticismo.

A orientação aos estabelecimentos faz parte do novo perfil da Vigilância Sanitária municipal, que investe em ações educativas para diminuir o número de infrações e, conseqüentemente, de riscos à saúde da população carioca.

Além de ações educativas, os técnicos também fazem inspeções nos locais, através de denúncias feitas pelos usuários. Portanto, a Vigilância Sanitária orienta os consumidores a ficarem atentos às irregularidades que podem ser encontradas em qualquer estabelecimento que trabalha com beleza e estética, e denunciá-las à central 1746 ou pelo site www.1746.rio.gov.br.

Patrulha Ambiental resgata jacaré de papo-amarelo em escola do Exército, no bairro de Deodoro

As fortes chuvas que atingiram a cidade neste domingo trouxeram um visitante diferente para a o bairro de Deodoro: um jacaré de papo-amarelo. O animal foi resgatado na tarde desta segunda-feira, dia 23, no interior da Escola de Sargentos de Logística do Exército, que fica no bairro, por guardas da Patrulha Ambiental – parceria da Secretaria Municipal de Meio Ambiente com a Guarda Municipal. A solicitação de resgate foi realizada pela Central 1746.

Jacaré do Papo Amarelo em Deodoro - Foto: Divulgação / Guarda Municipal

Jacaré do Papo Amarelo em Deodoro – Foto: Divulgação / Guarda Municipal

O jacaré estava com pequenos ferimentos no corpo e foi encaminhado para o Centro de Recuperação de Animais Silvestres (CRAS) da Universidade Estácio de Sá. Após o atendimento veterinário, os guardas realizaram a soltura do animal na Lagoa do Parque Municipal Marapendi. Segundo os militares que acionaram a equipe da Patrulha Ambiental, jacarés ainda não tinha sido são vistos no interior da escola.

A Guarda Municipal alerta à população sobre o resgate de animais silvestres: ao flagrá-los em área urbana ou em qualquer situação de risco fora do seu habitat, deve-se acionar a equipe da Patrulha Ambiental para um resgate seguro. O manuseio não é aconselhável e muito menos tentar afugentá-los, pois pode agravar qualquer lesão que os animais apresentarem. Os agentes podem ser acionados por meio do telefone 1746, da Prefeitura do Rio, que funciona 24h.

Procon Estadual autua 13 filiais da rede de supermercados Pão de Açúcar

Em cinco filiais os fiscais encontraram diferença no preço de produtos entre o que consta na gondola e o que é registrado no caixa.

Procon autua Pão de Açúcar - Foto: Divulgação / Procon

Procon autua Pão de Açúcar – Foto: Divulgação / Procon

O Procon Estadual, ligado à Secretaria de Estado de Defesa do Consumidor, realizou nesta segunda-feira (23/03) a Operação Cara de Cão, em bairros da Zona Sul, além de Barra, Recreio dos Bandeirantes e Tijuca. O objetivo da operação é vistoriar filiais da rede de supermercados Pão de Açúcar. A ação vistoriou 13 estabelecimentos que haviam sido alvo de denúncias no Procon Estadual e todos foram atuados. A principal irregularidade encontrada foi a divergência de preço entre o que está exposto nas gôndolas e o cobrado no caixa.

No Pão de Açúcar da Avenida Nossa Senhora de Copacabana, 109, os fiscais encontraram divergência entre os preços do caixa e da gôndola em quatro produtos. Um consumidor que comprasse um pacote de lichia, uma caixa de bombom, uma Colomba Pascoal e um sabonete íntimo neste supermercado, sem comparar o preço ofertado com o valor a pagar no caixa, teria um prejuízo de R$ 6,74. Além disso, o estabelecimento não conta com um exemplar do Livro de Reclamações, instituído pela Lei Estadual 6.613/2013.

Os outros endereços da rede que também apresentavam divergência nos preços foram os localizados na Av. N. S. Copacabana,1017 e Rua Barata Ribeiro,189, em Copacabana e os localizados na Rua Marquês de Abrantes, 165, e Voluntários da Pátria, 311, em Botafogo.

Na ação da segunda-feira foram descartados um total de 26kg e 534g de alimentos impróprios ao consumo.

Responsáveis por 5 supermercados são detidos pelo Procon Estadual

Fiscais do Procon Estadual descartam uma tonelada e meia de alimentos. Ação é realizada em conjunto com a Delegacia do Consumidor.

Procon no supermercado Extra da Vila Valqueire - Foto: Divulgação / Procon

Procon no supermercado Extra da Vila Valqueire – Foto: Divulgação / Procon

Responsáveis por cinco supermercados são detidos na Operação Secos e Molhados do Procon Estadual.

O Procon Estadual realizou nesta sexta-feira (20/03) uma nova ação da Operação Secos e Molhados, que tem o foco na fiscalização de supermercados. Desta vez a ação foi realizada nas Zonas Norte e Oeste do Rio de Janeiro em conjunto com a Delegacia do Consumidor (Decom). Todos os nove supermercados vistoriados eram alvos de denúncias e foram autuados. Os responsáveis por cinco deles foram detidos e encaminhados para a Delegacia do Consumidor. No total, foram descartados 1496kg e 012g de alimentos impróprios ao consumo. Em apenas um deles – a filial dos Supermercados Guanabara de Bento Ribeiro –, os fiscais descartaram 948kg de carnes. A padaria de um supermercado e uma câmara frigorífica de outro foram interditados.

Devido a produtos armazenados que estavam impróprios para o consumo, os responsáveis pelas filiais do Supermercado Guanabara, em Bento Ribeiro; Multimarket, na Praça Seca; Prezunic do Campinho; Extra, em Vila Valqueire; e Novo Mundo, de Ricardo de Albuquerque foram detidos e conduzidos à Delegacia do Consumidor, na Cidade da Polícia, no Jacarezinho.

O caso mais grave entre os estabelecimentos autuados foi o da filial do Supermercado Guanabara da Estrada Intendente Magalhães, em Bento Ribeiro, onde foram descartados 948kg de carnes impróprias ao consumo. Os fiscais determinaram que os palets de madeira da câmara frigorífica sejam trocados por palets de plástico. Também determinaram que cortinas sejam instaladas na entrada das câmaras para impedir presença de insetos. Havia produtos armazenados diretamente no piso da câmara, com funcionários andando sobre eles.

No supermercado Multimarket, de Praça Seca, os fiscais descartaram mais de 230kg de alimentos impróprios ao consumo, entre massas, carnes, doces, frios e conservas. A padaria do local foi interditada. Os agentes definiram 15 dias para que o estabelecimento melhore as condições de limpeza do açougue. Caso isso não ocorra, ele será interditado.

Já o Supermercado Prezunic, no Campinho, armazenava cerca de 120 kg de alimentos impróprios ao consumo, entre eles carnes e legumes estragados. No supermercado Extra, localizado na Vila Valqueire, os fiscais encontraram péssimas condições de higiene e a presença de moscas entre os produtos armazenados na câmara resfriada. Os fiscais interditaram a câmara, que só poderá voltar a funcionar após a instalação de portas. No estabelecimento os fiscais descartaram 84kg de alimentos.

Balanço da Operação Secos e Molhados

Vigilância Sanitária contabilizou aumento nos problemas com alimentos

Números de balanço parcial de operação da Vigilância Sanitária mostra aumento no número de problemas com alimentos típicos da semana santa. Operação continuará nos próximos dias, e perdura até a páscoa.

A Vigilância Sanitária municipal contabilizou os números das primeiras semanas da Operação Semana Santa e já aponta um número maior de alimentos inutilizados, quando comparado ao ano anterior. O número de pescado, de bacalhau e de outros produtos que já estavam sem condições de serem comercializados ultrapassou os 1.500 kg. Todos foram inutilizados, o que levou a interdição de dois estabelecimentos. No ano passado foram 1.430 kg em toda a operação. Em 2013, 1.567 kg.

A operação de 2015 continua até o Domingo de Páscoa. Até o momento, foram visitados 84 estabelecimentos que comercializam alimentos típicos. Desse total de inspeções, houve a aplicação de 35 termos de intimação, que é um documento de alerta aos estabelecimentos, em que terão que cumprir algumas determinações para não receberem multas ou serem interditados. Também foram aplicados 32 autos de infração, que são as multas referentes a infrações nas condições higiênico-sanitárias dos locais e da manipulação e acondicionamento dos alimentos.

No ano passado foram 162 estabelecimentos visitados, 59 multas aplicadas, 53 termos de intimação e três interdições. Em 2013, foram 464 visitas, 90 multas, 181 termos de intimação e nove interdições. Em todos os anos, os estabelecimentos receberam inspeções de cunho educativo e só é penalizado quando não seguem as orientações dos técnicos da Vigilância Sanitária.

A Operação Semana Santa é uma ação de visitas a estabelecimentos que comercializam alimentos típicos das comemorações do período religioso, para inspeção e orientação dos proprietários sobre as condições sanitárias do local e o acondicionamento ideal do que será comercializado.

Essas visitas também são intensificadas nos locais de produção e comercialização de pescado fresco, salgado e seco (em especial o bacalhau), bem como de ovos de Páscoa, chocolates e colomba pascal. Serão verificadas as condições de higiene, de conservação e qualidade dos produtos.

Os pontos prioritários das inspeções são as fábricas de chocolate, supermercados, mercados, peixarias e distribuidores, bem como os pontos de venda de pescados e ovos de Páscoa em bombonieres e lojas de departamento. As embalagens e a rotulagem dos produtos, as condições higiênico-sanitárias de armazenamento, o fracionamento, a manipulação e o modo de exposição para a venda são os principais quesitos avaliados.

Em 2015, serão desenvolvidas ações específicas em grandes centros de comercialização desses alimentos, como Cobal Leblon, Cobal Humaitá, Mercado do Produtor da Barra, Ceasa, e as associações de pescadores do Pontal, da Praia dos Amores, da Praia de Ramos, Pedra de Guaratiba, Posto 6, dentre outras.

A coibição da comercialização de produtos impróprios também pode ser feita pela população, através de denúncias à central de atendimento 1746. Todas as demandas serão encaminhadas aos técnicos da Vigilância Sanitária, que comparecerão aos estabelecimentos denunciados, para avaliarem as condições higiênico-sanitárias e, caso necessário, aplicarem as penalidades previstas em lei.

Guarda Municipal atua com 256 agentes na partida entre Flamengo e Vasco

A Guarda Municipal do Rio de Janeiro (GM-Rio) montou um esquema especial de patrulhamento e fiscalização com efetivo de 256 agentes para o jogo entre Flamengo e Vasco, que acontece neste domingo, dia 22, a partir das 18h30, no estádio do Maracanã.

Válido pela 11ª rodada do Campeonato Carioca, o jogo contará com ações de controle urbano, ordenamento de trânsito e fiscalização das posturas municipais realizadas pela GM-Rio a partir de 11h. Além disso, os agentes atuarão durante todo o evento para coibir o comércio ambulante irregular e o estacionamento em locais proibidos no entorno do estádio.

A fiscalização da GM-Rio também será realizada para garantir o cumprimento do decreto nº 30.417, de 22 de janeiro de 2009, que dispõe sobre a proibição do consumo e comercialização de bebidas alcoólicas no entorno do estádio, duas horas antes e após a realização de jogos.